Vasinhos de kalanchoes ganham imãs para decoração de superfícies metálicas

Fonte: Vasinhos de kalanchoes ganham imãs para decoração de superfícies metálicas

Estive em Holambra há dois meses apenas. Teria comprado um monte… Como não vi, talvez ainda não tivessem lançado mesmo, comprei para dar de presente, vasinhos com terra e bulbos de trevo quatro folhas para plantar.
Dei de presente para 9 pessoas, e fiquei com um.
Meus netinhos foram os últimos a plantar, há uma semana.
Pretendo escrever sobre os presentes, os escolhidos e o resultado.

Entendeu? Ou quer que eu desenhe?

Não é nenhuma novidade… mas, fiquei assustada com a quantidade de gordura, sódio e açúcar nos alimentos industrializados. Saber, saber ler as embalagens é uma coisa, visualizar os índices ali contidos, outra…..

IMG_0219 (2)
Num simples leite com achocolatado, caixinha pequena, o nível de açúcar é absurdo. Fora a gordura e o sódio. Quase um veneno…..
IMG_0224
De todos os exemplos o que mais me dói é a batata e o doritos…rs

Dia dos professores – Oficina de estamparia contemporânea – com Marilucia Guilen

Ser habilidosa não é ser criativa, porisso, colocar em prática,  idéias, pensamentos, fatos, atos, em algo novo, é um desafio.

Ao menos, atendo a ele, desafio, e encaro, de frente. Como se pudéssemos encarar de costas….

E, isso acrescenta no meu dia-a-dia, o equilíbrio, ou a tentativa de me equilibrar, ou reequilibrar.

Basta um simples olhar para verificar que as pessoas estão mais violentas, agressivas e, se não prestarmos atenção a essa verdade, se não fizermos nada para estancar esses sentimentos, ficamos reféns da raiva, ciúme, mágoas, ressentimentos. Se meu tempo vai passando, impiedosamente, ao menos que eu o utilize da melhor maneira.

A energia criativa é uma realidade. Ela existe em nós e precisa ser extravasada. Ela pode gerar trabalhos lindos, aproveitamento de materiais descartados, roupas customizadas, comidas saudáveis e, muito prazer. O prazer de poder transformar um pedaço de pano, um fio de uma meada, um ingrediente. De olhar o produto final e se orgulhar dele.

Meu lema sempre foi: “Prefiro fazer à comprar”. Em contrapartida, os sentimentos de expansão, de transformação criativa, encontram também barreiras. Em nós mesmos. Para aprender é preciso estar disposto a sair do comodismo, a enfrentar as dificuldades, a aceitar os erros e a amar os resultados, independente deles….rs

Ensinar é ato de todos nós. Mas, tirar de um aluno um resultado criativo é obra de mestre.

Mesmo para os que pensam que nada sabem fazer, ou  ensinar. A energia criativa é uma troca.

Aproveitar as técnicas para obter peças únicas é saber agregar conhecimento, fazendo com que o resultado seja verdadeiramente uma arte.

Única. Mesmo que façamos uma série….

Então é isso. Hoje, aprendi bastante, sem ter feito quase nada. Vim pra casa com uma idéia pela metade e já sei, penso eu, no que ela vai se transformar. E, esperar a próxima aula, chega ser tortura…

Hoje, ao menos, lembramos de cantar parabéns para Marilúcia Guilen, nossa professora, criativa, disposta, disponível e paciente… pelo dia de hoje.

Então, tenha mais paciência, trabalhe sua criatividade, saia do comodismo, use sua energia para poder converter em vontade de transcendência, de transformação criativa.

Tudo e todos agradecerão: saúde, família, amigos.

. DSC03801 DSC03802 DSC03803 DSC03804 DSC03805 DSC03806 DSC03807 DSC03808 DSC03809 DSC03810 DSC03811 DSC03812

PERGUNTAS E RESPOSTAS Why?

“Quando a gente acha que tem todas as respostas, vem a vida e muda todas as perguntas”. (Luis Fernando Veríssimo)

Pegando um gancho aqui com o Luis Fernando Veríssimo, para começar a escrever do que não saberemos a resposta. E quem sabe?

Não podemos sequer conjecturar, porque a alma estava doente. Há tempos. As escolhas sempre foram equivocadas, tanto é que a última não pode ser considerada uma escolha e sim, uma falta de saída e uma facada em todos nós.

Não saberemos, acho eu, a gota d’água. Ainda porque sempre transbordou. Não era contida, era visceral. Mas, eu acreditava que fosse mais forte, mas era só uma menininha.

Viver sem a sua presença, não será o problema, porque não convivemos nos últimos 12 anos. Mas sabíamos onde encontrá-la e ela também a nós.

Viver sem a possibilidade da sua presença é a pergunta sem resposta. Por que? Quando foi que tomou a decisão? Qual o nível de solidão, de pressão, de falta de saída que a levaram a tomar essa atitude extrema?

Não poder fazer nada para modificar esse quadro, vai ser nossa dor maior…

Já escrevi anteriormente, Não sou uma chorona sem controle. Não sou carpideira. Não me descabelo à toa. Mas choro.

E, me arrependo de não ter feito mais. De não ter tentado mais. De não ter corrido o risco de continuar levando os nãos pela frente. De não ter tentado resgatá-la. De não ter tentado…

Se só me resta rezar então, rezo, rezarei, para que a infinita Misericórdia de Deus a alcance. É a nossa esperança, nossa fé, o significado, para nós, de Deus.

Imagem de Nossa Senhora de Fátima, chorando.NossaSenhora_de_Fatima_lagrimas